Lê-aí | Vigilância Ambiental de Taquara lança projeto para o combate ao mosquito borrachudo

Vigilância Ambiental de Taquara lança projeto para o combate ao mosquito borrachudo

#Taquara#Saúde

Taquara - A Vigilância Ambiental, da Secretaria Municipal de Saúde de Taquara, lançou no final de outubro o Projeto de Gestão, Manejo e Controle dos Simulídeos. O objetivo é evitar a proliferação dos mosquitos da família Simuliidae, popularmente conhecidos como “borrachudos”, que causam picadas e alergias em pessoas e animais, e que costumam ser encontrados em áreas rurais.

Após o lançamento do projeto, em novembro, a Vigilância Ambiental realizou reuniões nos distritos de Santa Cruz da Concórdia e Padilha, com a presença de moradores e entidades como a Emater/RS-Ascar, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, secretários distritais e responsáveis pela aplicação do BTI, um tipo de biolarvicida.

Nestes encontros, foram definidas as estratégias para o controle da proliferação do mosquito. A responsável técnica pela Vigilância Ambiental, Regina Damasceno Rodrigues, recorda que as reuniões foram fundamentais para conscientizar os produtores rurais e demais moradores do interior sobre como fazer a correta destinação dos resíduos sólidos. “Esse trabalho é realizado por pessoas que fazem parte das respectivas comunidades em que executamos o projeto. Além disso, a aplicação do BTI é paliativa. Portanto, é necessário que se faça ações conjuntas para diminuir a sua proliferação”, explica, lembrando que são três aplicações de BTI em um intervalo de 15 dias, conforme as orientações determinadas pelo Estado. 

 

Continuidade da iniciativa

Regina frisa que as próximas ações do Projeto de Gestão, Manejo e Controle dos Simulídeos terão foco no levantamento de outros possíveis focos dos mosquitos borrachudos, através do mapeamento dos arroios e verificação da sua vazão.

As reuniões de conscientização são realizadas em parceria com a Emater/RS-Ascar. “Esta iniciativa é necessária, principalmente na questão de cuidados com os resíduos, que, se descartados incorretamente, gera acúmulo de matéria orgânica nos arroios, e aumenta a proliferação dos borrachudos”, completa a técnica agrícola da Emater/RS-Ascar, Carine Gross de Barros.

Foto: Prefeitura de Taquara/ Encontros já foram realizados em dois distritos de Taquara